Páginas

Seguidores

sábado, 29 de setembro de 2012

"Realizaremos nossos sonhos através da nossa força de vontade"

Realizaremos nossos sonhos através da nossa força de vontade!
Hoje estou feliz, por que uma das integrantes do meu Grupo de Apoio aos Escritores Criativos, que nunca escreveu nenhum livro, mas sempre teve vontade e imaginação de escrever.
Está levando sua criatividade adiante.
Ela está escrevendo seu primeiro livrinho!
É um conto Infantil, até já tem o Titulo. "OS LÍRIOS TAMBÉM FALAM"
Eu dei meu incentivo, algumas dicas e vou dar meu apoio na sua publicação!
Digo a todos vocês, não desistam dos seus sonhos! Lutem, pelos seus objetivos.
Sejam humildes, amáveis, leais, usam sempre da verdade.
Sendo vocês mesmo vai alcançar o sonho desejando.
Tenho mais três  comunicado muito bom.
A autora Rejane Santos, que participou do livro Arco-Íris Colorido, está iniciando seu novo livro, e também terá o meu apoio no lançamento da sua nova Obra.
O autor Mirim Mayro Almeida, que esta terminando seus dois livros, também com meu incentivo, terá suas duas obras publicada com meu apoio.
O autor Mirim Jonathan FC também terá suas obras publicadas com meu apoio.
O autor Mirim José Geraldo Junior, também escreveu seu primeiro livro há dois anos com meu incentivo, “A Espada de Miridion" ainda não pode lançar agora terá meu apoio na sua publicação.
O livro de mais  uma autora: Fabíola Lopes, sua primeira obra também foi incentivada por mim! Terá sua obra publicada com meu apoio.
Estas Obras todas, será lançada através da minha Editora Amanhecer do Novo Horizonte, no próximo ano, são obras que eu estou trabalhando e incentivando, com amor e com carinho.
Sinto-me feliz em poder colaborar com esses pequenos escritores criativos.
A autora:  Nedda Gonzáles Núnêz que é uma autora da Argentina, já famosa e de estrada.
Que terá sua Obra publicada no Brasil pela minha Editora Amanhecer do Novo Horizonte.
Eu sempre digo, e afirmo, o sonho para se realizar devemos ter muita força e acima de tudo ter fé e acreditar no seu sonho.
Eu sonho e procuro correr atrás dos meus sonhos, com humildade, lealdade, sinceridade.
São três pontos principais nos sonhos.
É um mais verdadeiro!
Ser nós mesmos.
E não quere ser, o que não somos!
Sou escritora Criativa, apaixonada por livros.
Escrevo em variedade e adapto em qual quer Gênero.
Estou pensando no próximo ano escrever uma novela.
Mas até isto acontecer ou não acontecer eu vou continuar escrevendo meus livros, meus poemas.
Minhas Reflexões, Meus contos, minhas Crônicas e tudo que gosto de escrever.
Vou continuar buscando ajuda para ajudar os pequenos escritores.
Sei que Deus está comigo, na minha simplicidade.
No meu jeito de viver e ver as coisas.
No meu jeito de amar o próximo.
Conto com todos vocês visitantes para dar sua palavra de incentivo.
Ou até mesmo os Empresários que tenha força de vontade de apoiar e ajudar os escritores, que tem sonhos e luta para que as escritas não sejam esquecidas pelos nossos leitores.
Meu muito obrigado.
Autora Maria José.

domingo, 23 de setembro de 2012

Minha pequena biografia.




"UMA PEQUENA BIOGRAFIA DA MINHA VIDA"
Está é um pequena biografia da minha vida.
Para quem ainda não me conhece ler um trecho da minha existência.
Meu nome Maria José dos Santos Ferreira.
Sou filha de pessoas humilde.
Nasci em uma cidadezinha no interior do Mato Grosso do sul- Brasil.
 Minha bisavó era Índia legitima.
Uma tarde meu bisavô foi à casada, nos imensos, campos de sua fazenda. Avistou linda Índia de cabelos negros e longos a altura dos joelhos.
Trajava um penacho, feito com penas de arara azul e sainha, feita com  penas  coloridas de araras.
Que cobria suas partes íntimas.
Meu bisavô ficou encantado com sua beleza, armou de seu laço de boiadeiro e a laçou.
Levou a para seu rancho, e manteve lá, por muitas luas.
Depois de ver que ela estava se adaptando com sua presença ,ele a soltou.
Mas ela não quis ir embora, então ele começou a ensinou-a afalar em português.
Aos poucos ela aprendeu.
Ela também o ensinou a língua Indigna.
Os dois se apaixonaram, passaram a viver uma vida juntos.
Desta união nasceram 6 filhos.
A mais nova dos filhos, é minha avó mãe do meu pai.
Após o nascimento do meu pai ,minha avó foi abandonada pelo esposo.
E meu pai foi criando pela minha bisavó Índia.
Os anos se passaram ,todos os filhos adquiriram família, minha vó com meu pai continuou sob os cuidados da minha bisavó Índia. Quando meu pai completou 6 anos minha avó se casou novamente.
Meu pai continuou aos cuidada da minha bisavó.
Aos 23 anos conheceu minha mãe. E se casaram, mas continuo na fazenda da minha bisavó
Após 10 anos de casamento meus pais tiveram sua primeira filha.
Após 2 anos nasceu meu irmão.
Depois veio o terceiro filho.
Depois veio eu a 4º filha
Depois veio outro e o ultimo filho
Que costumamos dizer no nosso estado.
O filho caçulo.
Fomos todos criados na fazenda, todos de uma simplicidade muito grande, mas sábios nos entendimento.
A minha infância foi diferente, não existia nada do mundo de hoje.
Devido as má administração do meu pai, as dificuldades vieram , ele perdeu tudo o que tinha.
Todos tiveram que trabalhar muito cedo, para sobreviver.
Não tivemos infância fácil, passamos por muitos sofrimentos, muita necessidade, mas nenhuns dos filhos se perderam no caminho.
Começamos a lida no campo aos 6 anos de idade.
Crescemos no leito familiar, onde os pais falavam e água parava.
Aos sete anos me veio à aspiração dos desenhos, historinha imaginaria, e versinhos.
Onde eu recitava olhando para a lua e o sol.
Comecei a desenhar, com folhas de batatas e folha de mandioca, fazia meus bichinhos de argila e coloria com os sumos verdes, misturado com sumo de urucum, e Açafrão condimento para cozidos.
Veio à escola, mas estudei muito pouco, por que meus pais , tinha que mudar de lugar, e perdíamos o ano.
E assim meus sonhos foram ficando para trás.
Guardava tudo na mente, meus sonhos, minhas lembranças, onde vivi os melhores momentos da minha infância. No sitio da minha bisavó Índia
Os anos se passaram eu cresci, na lida, mas sempre um pensamento. Vou escrever muitos livros, vou desenhar meus personagens.
Mas nunca foi possível, a vida estava cada vez mais difícil e meus sonhos muito longe de alcançar.
Guardei meus sonhos na gaveta por longos anos.
Tudo que escrevia eu guardava.
Cada versinho cada rima,  cada poema ,cada letra de musica.
Ao completar 20 anos minha bisavó Índia faleceu aos 125 anos de idade.
Conheci meu esposo e me casei aos 21 anos tive minha primeira filha, 1 ano e 3 meses depois faleceu, meu pai, meu mundo desmoronou.
Não tive mais vontade de escrever. Quando minha filha completou 3 anos nasceu meu filho.
Aos 11 meses do nascimento do meu filho me veio novamente às aspirações.
Onde escrevi 150 letras de musica. Sertaneja romântica.
Como minha vida financeira era fraca, e a falta de orientação, eu não registrei minhas musicas.
Neste meio tempo estava na cidade uma dupla sertaneja, em começo de carreira.
Apresentaram-se na radia, no programa entardecer no sertão.
Veio-me a ideia de procura-los e falar das minhas musicas.
Não pedi conselho a ninguém , por ninguém sabia dos meus sonhos e desejo de escrever.
Na verdade nunca disse a ninguém, dos meus sonhos.
Meus irmãos e minha irmã era todos,leigos nestes assuntos, nunca jamais me ajudaria, ou aceitaria minhas decisões. Além disso eram muito fracos financeiramente.
Peguei meu caderno com minhas letras e levei para um dos cantores, que ficou entusiasmado com minhas letras de musicas.
Todas com arranjos e rimas.
Todas as minhas letras eram sertanejas românticas.
Ficaram com minhas letras e prometeram que ias gravar algumas e por meu nome.
Na semana seguinte eu os procurei para saber se eles gostaram.
Disseram que sim, que iam gravar aqui em São Paulo.
Disseram-me para ir ao encontro deles na semana seguinte que já estaria pronto.
Só precisava assinar um contrato.
Eu concordei, mas quando fui lá para assinar eu estava muito feliz e radiando alegria.
Mas durou menos que uma hora minha alegria.
Eles tinham desaparecido, levando meus sonhos com eles.
Nunca mais eu soube deles.
9 meses depois, eu liguei o radio e ao ouvir uma musico no ar, eu na hora reconheci minha letra, só com os arranjos diferentes.
Fui atrás na radio da minha cidade onde eles catavam, não me deram nenhuma informação.
Riram de mim. Não acreditaram uma palavra do que eu disse.
Não pode fazer nada , não tinha como provar, eles levaram meu caderno, levaram meus sonhos embora.
Entristeci-me e não escrevi mais.
Minhas letras fez muito sucesso com eles, depois eles também desapareceram, nunca mais ouvi falar deles.
Minha vida continuou, tive altos e baixos, tive momentos bons e ruins.
Eu e meu esposo lutamos muito para criar nossos dois filhos, Passando por dificuldade, doenças , mas sempre muito unidos.
Em 1991 eu perdi meu irmão caçulo, 4 meses depois perdi minha mãe.
Minha vida virou de ponta cabeça.
1 ano depois me veio o desejo de escrever, novamente.
Comecei a compor minhas musicas e criar meus livros, meus poemas, minhas poesias minhas reflexões.
Mas eu não tinha como fazer nem mesmo com registrar minhas escritas. Como eu disse minha vida sempre foi altos e baixos.
Após o falecimento da minha mãe, veio às desuniões dos irmãos.
Em 1998 vim embora para São Paulo, com meus dois filhos e meu esposo, sem um teto para morar, e sem emprego. Ficamos em quarto de pensão, não tinha como pagar um Hotel ou alugar uma casa. Mas não ficamos na rua. Não foi fácil, mas com fé e coragem , vencemos.
Eu sempre fui muito esforçada e fui logo pedindo emprego para o dono da pesão, que não negou e me fez o teste lavando os banheiros.
Fui contratada com um salario de 50 R$ por mês, sendo que, o aluguel do quarto era de 280 R$.
Ainda faltava 2 30 R$ para completar o aluguel do quarto.
Meu esposo desempregado meus filhos de menor.
Meu Filho acabava de completar 14 anos, decidiu ir à luta para me ajudar.
Falei com um dos hóspedes que, era garçom em uma casa noturna, pedindo um trabalho de ajudante para meu filho.
Ele não pensou duas vezes e disse você é menor de idade mais damos um jeito.
Levou meu filho e apresentou a dona casa, que gostou dele e ficou com pena.
Mas disse eu vou por você, para de ajudante dos garçons, duas vezes por semana, da hora que a casa abrir ate o fechamento que é às 5 horas da manhã, te pago 20 R$ por noite.
Ele ficou feliz da vida, era mais 20 R$ que ia entrar para ajudar no aluguel.
Neste meio tempo eu fui pegando roupa para lavar, e fui fazendo refeição para os hospedes.
O senhor da pensão gostou do meu trabalho, e começamos a servir refeições.
As coisas começaram a melhorar. Alguns meses depois passei para uma casa e sai do quartinho.
Meus filhos puderam ter uma vida um pouco melhor.
Deus preparou um bom emprego para meu esposo, no qual um ano depois ele passou a Gerencia.
E mudamos então para um Apartamento maior.
Meu filho gostou do trabalho e continuou a me ajudar.
Depois não pode mais trabalhar na noite por causa da idade, era menor de idade mais ganhou a profissão de garçom.
No ano de 2.000 Comecei a escrever meu primeiro livro nas horas vagas.
Terminei meu livro e não registrei, comecei a correr atrás das Editoras.
Nenhuma pegou meu livro.
Decidi fazer por conta própria. Todas as Editoras que procurei cobravam muito caro, eu não tinha condições de fazer.
Procurei uma Copiadora e paguei para fazer.
A Matriz do livro, ficou caríssima, e mal escrita, com erros ortográficos, concordância, gramatica, enfim joguei dinheiro fora.
Mas como não entendia fiquei muito feliz.
Após 2 anos encerrei na pensão com o senhor e fui tocar outra pensão que arrendei.
Servia refeição e alugava quarto, tinha uns números de hóspede bom ,mais foram pouco tempo.
Aluguei para um casal com 3 crianças. Não podia mais o coração falou mais alto.
Arrependi-me, 6 meses depois o casal só me arranjou problemas.
Comei a tomar prejuízo e tiver que ira para a justiça para tirá-los da pensão para que eu pudesse
entregar, o imóvel para os proprietários.
Meu prejuízo foi muito, mas Deus sempre esteve comigo.
Foram 12 meses de espera, só tendo gasto com tudo, mas o Juiz determinou a causa ganha para mim, eles saíram, eu me senti livre depois de tantas ameaças do casal contra mim e minha família.
Melhor o prejuízo.
Só então eu percebi que meu livro não estava certo.
Já tinha escrito mais dois livros e ia mandar a moça fazer, quando me veio uma luz do alto.
Não vou mandar fazer por que este livro não está certo, vou procura-la e falar com ela.
Ela me disse que estava certo sim. Que não vendi por que  foi feito em capa dura.
Disse  que eu tinha que fazer diferente.
Decidi procurar um contador para ver como eu registrava o livro.
Ele me disse que o livro só faltava corrigir certo, e que o livro e a história em sim era boa tinha começo, miolo e fim muito linda.
De fato a historia é linda. Só não foi corregido certo. Por isto não obtive vendas e fiquei no prejuízo novamente.
Mandei fazer a correção e ele mandou pro registo, neste meio tempo ele me disse por que você não abre uma Editora?  Assim pode fazer seus livros e outros trabalhos também.
Achei a ideia muito boa e concordei com ele.
Ele abriu minha Editora com 3 áreas de trabalho.
Edições de livros
Edições de Jornais
Edições de Revista.
Fiquei feliz, mas por que eu não sabia que era tão complicado tocar uma, micro empresa sem dinheiro.
Fiz mil livros, entrei em dividas, e não recuperei o dinheiro.
Isto ocorreu em 206.
Desde então venho lutando para manter a Editora. Não está sendo fácil mas eu não vou me desanimar! Deus me deu, sem eu pedir tenho certeza que me vai ajudar a tocar pra frente.
Estou divulgando minha revista  Ballad Night impressa e meu jornal  impresso tenho certeza que este ano ela vai circular. Estou levando os livros em frente, mesmo com muita dificuldade.
Tenho certeza que Deus está do meu lado, estou conseguindo levantar minha Editora.
Criei a revista e o Jornal, para poder levantar minha Editora e assim poder ajudar os pequenos escritores e os autores Mirins. E também continuar com meus livros por que é meu sonho.
Criei a minha nova revista eletrônica, (Noticias do Momento) para mostrar ao mundo que, os escritores criativos e os pequenos escritores não são reconhecidos pelo seu trabalho. Eles também têm direito a realizar seus sonhos, assim como os grandes escritores, formados na Literatura.
Os escritores Criativos têm os dons da criatividade, onde criam os melhores livros e poemas Literários, mais não são reconhecidos pelos seus talentos de criação.
Por mais este motivo escrevo o que penso na minha pequena biografia.
Vou falar um pouco do meu trabalho.
Tenho agora 17 contos Infantis!  “Quatro livros, sendo “O Romance de Daniele” “O Andarilho da Noite” “O Inferno das Drogas” “Uma Rosa para mim” Poemas, Poesias e Reflexão, e estou com 180 pagina escrita do meu novo livro “A Lenda de Jully Walk” Meu outro livro que estou escrevendo está com 150 pagina, ainda não finalizei. “Em busca do sonho” Estes dois livro pretendo  terminar em breve. 
Eu criei o livro “Arco - Iris Colorido” com desenho e maior parte do texto da minha autoria, tendo uma pequena participação das duas autoras Andréia Franco, e Rejane Santos.
Que terá seus direitos autorais como participante do livro.
Após a revisão do livro pelos professores revisores o livro será lançado, só então eu vou trabalhar meus outros livros.
Minha paixão por livro nasceu comigo!
Leio por que gosto!
Escrevo por que amo os livro e noque depender de mim eles nunca morrerão.
Os livros tem que continuar a caminhar pelo mundo- se não nossa historia morre sem começar.
Não sou incentivada a isto! Também não me formei para fazer o que faço! Tudo é feito com amor e dedicação.
Além disso, tenho outro sonho que aprendi sozinha e sem fazer nenhum curso- Foi desenhar e criar meus personagens, e também desenhar modelos de roupas, Infantil, Juvenil, Adulto, Masculino e Feminino.
Faço designs gráficos, artes gráficas, diagramações em livros, jornal, revista, revisão de texto edito livros de outros. Faço todo o trabalho editorial. Uso minha criatividade.
Costumo dizer que isto é um dom, mas na verdade é força de vontade.
Aprendi tudo que sei sozinha sem apoio, sem ajuda.
Estou desenvolvendo minha coleção SOL DE VERÃO-MJ
Digo e afirmo a todos que os dons Divinos é os melhores.
Tudo que sei e aprendi na minha vida foi doado por Deus. Estou aqui hoje porque Ele me sustenta do meu nascimento até o dia de hoje.
Este é um resumo da minha história de vida.
Ou seja uma pequena biografia.
Maria José.

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Projetos

Projeto Meninos (as) em ação
 Junho de 2012 até o momento
Membros da equipe: Maria José dos Santos Ferreira, Marlene Dezzunte, Cleber, Osvaldo.
É um projeto, no qual pretendo ajudar as crianças de baixa renda, caminhar para um futuro melhor.
Dar suporte aos Autores Mirins nas criações e lançamento de suas obras.
Cursos, de aprendizado em Design Gráfico, Encadernação de suas obras, Desenho Artístico, desenhos quadrinhos, Obras de Artes em pinturas em quadros, Bordado, Tricô e Croché, Corte Costura, Cursos de estilista, cursos de cabeleireiros Unix, cursos de manicure, Cursos de Artesanato, cursos de computação para o uso dos programas utilizados nos desenvolvimentos de personagem em movimento, das historias em quadrinhos.
Cursos de defesa pessoal.
Outros cursos ainda não decididos no projeto.
Meu objetivo com este projeto é ajudar as crianças de baixa renda que, tem sonhos e não tem como pagar esses cursos que, são muito caros, e quando tem gratuito é muito difícil conseguir uma vaga! Quando consegue não tem como os pais manterem, suas estadias no curso, porque precisam do vale transporte, da alimentação, eles acabam desistindo sem concluir. Com este Projeto Meninos (as) em ação eu pretendo buscar recursos junto Ministério da Cultura, é um direito de toda criança.
É um projeto sem fim lucrativo.
Está em desenvolvimento e pretendo que, seja aprovado em Brasília para o inicio no ano.
Será algo muito proveitoso para as crianças.
Caminharem para um futuro melhor. 

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Texto Original de Clodoaldo Turcato - "Somos descendentes de Caim"

Está Pagina é direcionada ao Publico pelo Escritor Clodoaldo Turcato

Somos descendentes de Caim: farinha do mesmo saco.

Gênesis 4.15 " O SENHOR, porem,lhe disse: Assim qualquer que MATAR A CAIM será vingado sete vezes E pôs o SENHOR um sinal EM CAIM para que o não ferisse de morte quem quer que o encontrasse"
Agora que temos a noção clara de que não sabemos de onde viemos, nem como, nem pra onde vamos, tentaremos ao menos descobrir que Diabos estamos fazendo aqui. Somos frutos do acaso e a partir do barro. Não fomos programados. Se Deus naquele dia resolvesse fazer algo bom, teria perdido mais que seis dias e utilizado algo mais nobre.
Então temos pelo cristões que somos descendentes de Adão e Eva. Naquele lugar maravilhoso, perto de um grande rio, que poderia ser o Nilo ou Eufrates; com calor e rica natureza estavam os dois, nus e vivendo felizes. Ora, os animais eram mansos e a vida completa. Até que um dia um diabindo (sim, por que não creio que a serpente seja coisa de gente de boa índole) infiltrou a serpente. Depois que a cobra apareceu... hum. Esse negócio da cobra nunca foi bem explicado e cá pra nós eu acho que essa cobra... Bom, depois da cobra a coisa ficou pior, para Adão e Eva e para a própria cobra, que passou a se rastejar. Ops! Então a cobra andava em pé? Ok. Sigamos. Eva e todas as mulheres foram condenadas a sentir as dores do mundo. Logo, Dona Maria, seu sofrimento parte de Eva: pode xingar.
E seguindo a ótica de Jeová, vamos encontrar Adão trabalhando, longe do paraíso e amando Eva. Isso posto que eles tem dois filhos, Abel e Caim, o que todos sabemos. Abel era o filhinho querido de Deus. Caim tinha reservas. Enquanto Abel dava o seu melhor, queimando belas reses, frutas e verduras de primeira; Caim trapaceava com seus animais estropiados e restos de colheita. E nessa berlinda que vivia, Caim não suportou ser o esquecido e matou Abel, tendo que fugir para o centro do mundo, onde encontrou outros seres... Espera um pouco! Que outros? Não apareci isso na Bíblia, o famoso livro dos contos. Espera ai. Se Caim saiu pelo mundo e teve filhos e filhas, então somos descendentes de Caim. Logo vi: boa coisa não somos.
E para quem ignora a criação cristã, a ciência também não ajuda muito. Partimos de partículas que foram se agregando, primeiro em algas e depois em seres animados. Em milhões de anos depois, isso quando o calor permitiu, surgimos parecidos com chipanzés, tortos, infantis e preguiçosos, andando pra todo lado, explorando os alimentos como um animal qualquer. E depois do calor vieram as eras glaciais e muito morreram, se espalharam, ressurgindo na Europa e África com características evolutivas, ficando eretos e se organizando em sociedades.
Então o homem em sociedade criou os padrões. Basicamente o Homem-de-neandertal e o Homo Sapiens, que viveram a cerca de 300.000 anos, baseavam sua vida social pela força, relegando aos mais fortes o comando. E assim a sociedade moderna é uma cópia da sociedade primitiva. O homem de hoje defende com todas as forças seus interesses. Enquanto o homem das cavernas mantinha seu grupo cativo por ameaças e jugos severos, atualmente os meios precisam ser sofisticados. Se outrora num duelo se resolvia tudo, os poderosos de hoje teme revoltas sociais. Logo, para controlar este ímpeto, os modernos precisaram criar um esquema onde os explorados se sintam parte de um sistema promissor, que insiste em dizer que todos têm as mesmas oportunidades, basta agarrar as chances. Dopados por esta máxima, os explorados se destroem sem perceber que poucos chegarão ao céu, já que num sistema cruel como o Capital, o nirvana é para poucos. Mas  isso não importa, as ilusões são muitas e o sujeito chega até o final de seus dias acreditando que vai dar certo.
Deste principio, o capitalista, vamos seguir de ora em diante. Tentarei, com alguma dificuldade, mas com clareza, expor onde o homem se perdeu, deixou de ser humano para virar uma maquina de consumo capitalista.
A resposta o que estamos fazendo aqui é simples: servindo o capital.

A ignorância são trevas que precisamos iluminar.

Quando cheguei ao Nordeste Brasileiro em 2000 eu tinha em mente o sertão de Graciliano Ramos cercado pelos canaviais de João Cabral de Mello Neto.  Não considerei a cidade, a metrópole e sua gente exprimida pelos cantos, em becos entre prédios luxuosos da zona sul ou morros da zona norte.  Não contava com a prostituição de crianças em Boa Viagem nem com os cheira-cola do Derby. Ao entrar na minha primeira escola para dar aulas em Jaboatão dos Guararapes, quase desisti tamanha a devassagem educacional e falta de estrutura. Algumas vezes não tinha giz, merenda, e o calor da sala nos obrigava a sair para o pátio e concluir a aula.
Do Nordeste dos livros eu não senti o calor da terra e do povo, o suor das feridas nunca fechadas e as lágrimas dos choros das crianças com fome: nos livros sempre encontramos os mocinhos e as mocinhas faceiras que, não raro, tem um final feliz. No meu encontro com o Nordeste recordei de um professor boliviano chamado Juan De Marcos, que insistia na tese de que a miséria da América Latina nunca acabaria já que é extremamente lucrativa. Seguia meu Mestre que a educação formal latino americana estava em plena decadência, já que para manter o mercado de trabalho não são necessárias pessoas educadas, mas adestradas. “Os seres que podem revolucionar a educação são contratados a peso de ouro para os centros universitários norte americanos e europeus. Aqui só ficamos nós, as focas” e ria. Nunca me explicou o sentido da palavra foca, nem insisti, apenas desacreditei naquele dia com meus sonhos idealistas.
Depois de dois anos em Recife das praias mais belas do mundo, fui para a Zona Leste de São Paulo, região povoada por Nordestinos. Passei seis meses convivendo com as mesmas misérias do Recife, sobre tudo a falta de interesse em estudar e melhorar ao seu redor. Alguns barracos ficavam praticamente amarrados no pé do morro, o acesso era íngreme e o esgoto a céu aberto. Para solucionar parte do problema bastaria que os homens e mulheres, que geralmente ficavam dois dias por semana bebendo e dançando, pegassem algumas enxadas e corrigissem os terrenos. No entanto eles aguardavam as graças da Prefeitura para seus intentos, coisas que jamais aconteciam e até hoje as casas continuam na mesma situação. Cada barraco de no máximo cinqüenta metros quadrados tinha em torno de dez pessoas, metade crianças em idade escolar que mal sabiam escrever o nome e não faziam nada além de passar o dia vendo programas detestáveis na televisão. Desta feita me veio mais um dizer de um grande empresário de Lucas do Rio Verde, chamado Otaviano Pivetta, sobre a proliferação das pessoas pobres, principalmente negros e nordestinos: “São como ratos, a gente mata dez, nascem vinte”. Lamentável.
A menos de um mês vim pra Diadema, uma das regiões mais industrializadas do mundo e com mão-de-obra primária  basicamente Nordestina. Encontro novamente os mesmos problemas: baixo índice escolar, despolitizados, descomprometimento com qualquer atividade do Estado, renda abaixo do nível nacional, descontrole de natalidade, rompimentos familiares constantes, falta de compromisso com atividades mínimas, individualismo e pouca estima. Ao ver as estatísticas do IBGE, o Norte e Nordeste tiveram melhoras em seus números, porém o índice escolar está abaixo do Zimbábue. O Sul e o Sudeste mais preparados absorvem melhor o aumento da riqueza. O Centro Oeste dominado pelos sulistas chega a números interessantes na produção agrícola e índice humano, enquanto o Nordeste não consegue engatar melhora. As cidades povoadas por Europeus e seus descendentes promovem as melhorias em suas comunidades e reportam esquemas de politização que faz o representante ser obrigado a mostrar seu trabalho, dando menos distância entre o discurso e  os feitos. Nenhum eleitor do Sul é melhor que qualquer outra região, no entanto é mais cobrador, revolta-se e tem a política na cultura, o que produz melhores administradores. Para um Nordestino e suas misturas, a política é abominável. Eles não conseguem compreender a máquina capitalista a qual está inserido, onde importa em ter a política como instrumento manipulador, logo prefere execrá-la. O mesmo faz-se com a educação e seus educadores: acham que a leitura é algo desnecessário, mistificam o estudioso como um louco ou alguém fora da realidade. Ao expor meus livros e trabalhos para alguns amigos aqui e no Recife, eles olhavam com atenção, visualizavam meus escritos numa olhada piedosa e devolviam quase pedindo desculpas por tamanha ousadia de por os olhos naquele amontoado de bobagens.
Então quando escrevo que o Nordestino é um ser manipulável pela falta de cultura, politização e vontade própria de vencer, algum espertinho munido de uma cartilha idiota dos Direitos Humanos  me chama de preconceituoso. Meu caro, eu tenho números e vivência. Estive em barracos e mansões de Recife e São Paulo e entendi como é fácil controlar um povo mal educado como o Nordestino. Se nas escolas falta giz e merenda, que dirá dos professores, livros, psicólogos e demais entes que integram a comunidade escolar. Um pai Nordestino sabe que estudar é preciso, mas não para criar um filho diferenciado, pensante e revolucionário, mas para que ele arrume um bom emprego, de carteira assinada, e se aposente. Um cidadão de bem é aquele que mantém sua família, não vai pro crime e se aposenta. Nada além disso. Um sonho que não incluiu ascensão social, ter  algum capital ou estudar numa boa universidade. O objetivo do Nordestino é nascer, crescer e morrer – pouco. 
Então eu acho muito mais útil aos senhores representantes dos Direitos Humanos exporem com clareza a ferida chamada miséria e a parte do Brasil onde ela mais rende, do que me perseguir com a uma caça as bruxas por eu escrever estas verdades duras. Não quero dizer que somos melhores por sermos sulistas, mais inteligentes, preparados ou acima de qualquer negro nordestino. Apenas exponho com extremismo a realidade que as ruas mostram e são traduzidos nos censos. Eu não minto! Quem mente são as autoridades que elevam a estimam destes coitados para dar a eles um ponta-pé assim que a eleição acaba.  O Nordestino está inferiorizado sim! Não adianta passar a mão.
E o que fez esta disparidade acontecer? Bom, temos aqui toda uma questão de colonização regional que estamos cansados de escrever. No entanto está diferença poderia ter sido diminuída em quinhentos anos de história se houvesse vontade dominante. Nunca existiu um só político com capacidade pra investir pesado em educação nos nove Estados Nordestinos. Os grandes vultos literários e educacionais, como Paulo Freire, foram levados para outros cantos do mundo, afinal de contas poderiam causar algum mal estar com suas propostas de investimento na educação. Os coronéis os levaram para longe, onde pudesse dominá-los tranquilamente. Restaram os contadores de estórias, e esses não tem poder mais que suas penas.
Outra inclinação para os miseráveis nordestinos é inflarem as igrejas evangélicas. Ao contrário de Martinho Lutero, os evangélicos brasileiros manipulam as misérias a tal ponto que um fiel sente-se na “benção” quando consegue pagar  o dízimo e ser agraciado com mais dias comendo cuscus com ovo e vestindo promoções de lojas baratas. Lutero deixou o catolicismo para buscar a riqueza, já os evangélicos brasileiros sugam o pouco dos pobres para suas igrejas fantásticas, aviões luxuosos e propriedades cercadas de gado por todos os lados. Então temos que políticos e religiosos, em sua maioria, são manipuladores. Não! São os números. Basta compará-los. As igrejas evangélicas cresceram e aumentaram sua influência nas populações miseráveis nordestinas, em todos os Estados. E os crentes mudam do catolicismo ou religiões afros por pura conveniência: é mais simples atingir o céu aderindo a fé protestante, onde basta pedir perdão e pagar o dízimo.  Nesta preguiça impregnada, que tanto  exaltou Mario de Andrade, fez do brasileiro de cor uma síndrome do jeitinho, deste mal de nunca ousar mais que o comer de todos os dias e o sexo de todas as noites.
Por causa de falsos preceitos e um moralismo exacerbado, a África foi escravizada pelos povos civilizados e transformada em um bolsão de pobreza permanente. Em todos os movimentos de revitalização dos povos são abortados, levando poucos ao poder absoluto e muitos a miséria total. Olhar a África setentrional é o mesmo que ver o sertão nordestino de Graciliano com suas cabeças de bois espalhadas pelo solo e cães misturados a gente na busca de um preá que seja. E lá nos altos escalões, os Doutores choram ao ver criançinhas esqueléticas na savana africana, colocam leis para suprir a fome daqueles benditos. Enquanto isso nossas crianças passam fome de saber e a comida anda escassa.
Para concluir, o povo Nordestino (que está em todas as regiões do Brasil e partes do Mundo) é usado e será por muito tempo, usado como massa de manobra. Isso mudará quando as escolas melhorarem, os livros forem devorados e entendidos.
Autor Clodoaldo Turcato




domingo, 9 de setembro de 2012

Poema da Autora Nedda González Núñez.



Noticias importantes.
Revista Noticia do Momento. Escritores ao caminho da Literatura.
Convidou uma grande escritora de Literatura, a escrever para minha revista
Quero através desta, revista agradecer a escritora  Nedda González Núñez .
Por sua amável gentileza, de contribuir com seus lindos poemas literário para
A Revista Noticia do Momento.
No qual eu estou apresentando os escritores do Brasil e Exterior ao publico que não os conhecem e não sabem o valor das escritas literárias .
S e não tomarmos iniciativas de lutar e demostrar os valores de nossas escritas os nossos sonhos ficam guardados na gaveta para sempre.
Eu falo como escritora completa que sou, e como editora.
Quando me refiro que sou uma escritora completa! Quero dizer que eu escrevo em variedades. E me adapto a todas as escritas.
“Romance História de amor História baseado em fato real Historia Infantil”
“Conto infantil, História ,em quadrinho, Crônica Drama, e ficção, poema ,poesia ,reflexão”
Assim como eu, tem milhões de escritores com as mesmas características , esperando uma chance de mostrar seu trabalho ao mundo.
O que mais fascina os leitores nos blogs da edição e o “romantismo”
O leitor adora um livro de romance ou um poema de amor, uma poesia.
Temos que passar aos nossos leitores, que também escrevemos lindos livros que não é somente
O romance o poema a poesia de amor.
Uns dizem que a Literatura está morrendo, mas acredito  eu que, quem está morrendo são os leitores, por falta de incentivo a leitura.
Congratula-se por haver ainda algumas pessoas que, “gostam tanto de livros” que fazem isto como
Arte. E concordam que “temos um problema grave” se só houver livrarias que vendem aquilo que os novos públicos querem – públicos que não têm um capital cultural acumulado, que não são fortes leitores, que não são leitores fiéis, que agora compram um livro mas que a seguir podem
comprar ,outra coisa qualquer.
Pensam  que os editores, acabam, mesmo se involuntariamente, por determinar o que é a
qualidade literária, “por que .” São eles que decidem por exemplo traduzir certos autores, que
para eles são os melhores do mundo em detrimento de todos os outros que não mandam
Traduzir.” Outra questão que preocupa os consultores editoriais prende-se com a
representatividade da literatura nos outros países, “mas nós não vamos conseguir colocar os
Autores no Brasil e exterior se não tivermos a força de uma editora por detrás de um autor, capaz
de enfrentar um mercado que é muito competitivo”. Mercado que no caso das livrarias está ainda
assim em mutação, pensando os blog das edições  que o espaço nele para os livros com menor
Capital comercial vai  algum dia expandir-se.
Por este motivo eu como escritora e Editora, estou buscando um meio de poder não deixar nossos
sonhos guardados na gaveta.
Buscando um meio de nós ajudarmos uns aos outros para que, nossos livros literários e todos os
outros livros, não morram, como o passar do tempo.

      NOTICIA DO MOMENTO.
Noticias de la revista Momento. Escritores en el camino de la literatura.
Se invitó a un gran escritor de la literatura, escribiendo para mi revista
Quiero que a través de esto, gracias a un escritor de la revista Nedda González Núñez.
Por su misericordia, para contribuir con sus hermosos poemas a la literatura
La Revista Noticias del Momento.
¿En qué me estoy presentando a los escritores en Brasil y en el exterior que el público no los conoce y no se conoce el valor de los escritos literarios.
S y no tomamos iniciativas para luchar y demostrar los valores de nuestros sueños nuestros escritos se guardan en el cajón para siempre.
Hablo como un escritor que estoy lleno, y como editor.
Cuando digo que soy un escritor lleno! Quiero decir que escribo en variedades. Y me adapto a todo escrito.
"Romance Historia de Amor historia basada en hechos reales Niño Historia"
"Les digo a los niños, historia, libros de historietas, Drama Crónica y ficción, un poema, poesía, reflexión '
Igual que yo, tiene millones de escritores con las mismas características, esperando la oportunidad de mostrar su trabajo al mundo.
Lo que más fascina a los lectores de los blogs editoriales y "romanticismo"
El lector ama a una novela romántica o un poema de amor, un poema.
Tenemos que pasar a nuestros lectores, que también escribió libros hermosos que no sólo es
El poema poesía novela de amor.
Algunos dicen que la literatura se está muriendo, pero creo que cualquier persona que se está muriendo lectores son, por falta de incentivo para leer.
Acoge con satisfacción el hecho de que todavía hay algunas personas que "son tan aficionados a los libros" que sea lo más
Art. Y de acuerdo en que "tenemos un problema grave" si sólo librerías que venden lo que el público quiere nuevo - no tienen un capital cultural acumulado público, que no son buenos lectores, que no son lectores fieles que ahora compran un libro, pero entonces pueden
comprar otra cosa.
Ellos piensan los editores, final, aunque sin intención, mediante la determinación de cuál es el
calidad literaria, "por qué". Deciden por ejemplo, traducir ciertos autores, que
ya que son los mejores del mundo a costa de todos los demás que no envían
traducir. "Otro tema que preocupa a los consultores editoriales se refiere a la
representante de la literatura de otros países, "pero no vamos a ser capaces de poner el
Autores en Brasil y en el exterior si no tienen la fuerza de una editorial detrás de un autor capaz
frente a un mercado que es muy competitivo ". Los mercados que en el caso de las bibliotecas es todavía
cambiando así, pensando en el blog de los temas que el espacio en él para los libros con menos
algún día la capital comercial se ampliará.
Por esta razón yo, como escritor y editor, estoy buscando una manera de no dejar que nuestro poder
sueños almacenado en el cajón.
Buscando una manera de ayudarnos unos a otros a fin de que nuestros libros literarios y todas las
otros libros no mueren con el tiempo.








                                           
                                              
                                                                         Los extraños.

          En la tenebrosa región de los que no están vivos ni tampoco muertos las criaturas vagan, sedientas por conocer su origen. Están furiosas y tristes a la vez, avergonzadas por no encajar en ningún lado.
          Temidos y odiados por sus vecinos, pues nada acrecienta más el odio que el miedo, descansan de día bajo un manto de tierra fría, para erguirse aturdidos con las primeras sombras.
          A veces sus sentidos pueden confundir un día muy nublado con el atardecer y entonces terminan apaleados y heridos por los hombres vivos.         
          Pero cada anochecer deben retomar su extraña existencia, y balanceándose y babeando, caminan en busca de raíces y pequeñas alimañas que sigan manteniendo su no-vida, su no-muerte.
          Yo los he visto a veces desde mi ventana, confundidos con el ramaje que puebla el campo. Se agitan oscuramente bajo la lluvia o las estrellas, mientras sollozan por lo bajo. Ya no les temo. Se que algunos llegan hasta el cobertizo para buscar frutas, queso o miel.
         Antes del amanecer desaparecen bajo las ramas de los nísperos y paraísos, mientras el viento arrastra lejos sus gemidos.
Autora: Nedda González Núñez.

Poema da autora   Nedda González Núñez. traduzido para o português 



Estranhos.

           Na região escura que não estão vivos nem mortos vagam criaturas, com fome de saber a sua origem. Eles estão com raiva e triste ao mesmo tempo envergonhado por não se encaixarem em qualquer lugar.
           Temido e odiado por seus vizinhos, porque nada cresce mais ódio do que o medo, dia de descanso sob um cobertor de terra fria, a levantar-se chocado com as primeiras sombras.
           Às vezes, os seus sentidos pode confundir um dia muito nublado, com o pôr do sol e depois acabam agredidos e feridos por homens vivos.
           Mas cada noite deve retomar sua existência estranho, e balançando e babando, caminhando em busca de raízes e patifes pequenas para continuar mantendo a sua não-vida, mortos-vivos.
           Eu vi da minha janela, às vezes, confundida com os ramos que preenche o campo. Darkly agitado na chuva ou estrelas, enquanto a soluçar baixinho. Eles não têm mais medo. Eu sei que alguns vão para o galpão de encontrar frutas, queijo ou mel.
          Antes do amanhecer desaparecer sob os ramos de caqui e os paraísos, enquanto o vento leva embora seus gemidos.

autora Nedda González Núñez.


sexta-feira, 7 de setembro de 2012

A prece do Silencio. e mais uma poesia da autora Nedda González Núnez, "Anjo da Noite"



A Prece do silêncio.
Pai, hoje eu posso saber fazer silêncio!
Que os meus pensamentos se calem e que os meus ouvidos sejam surdos
para más palavras e maledicências.
Que os meus olhos possam apenas enxergar o Bem em todas as coisas por pior que elas pareçam.
Que o meu ego se emudeça e se afaste de julgamentos e condenações.
Que minha alma se  expanda e tenha compaixão por todos os seres vivos.
Que em meu silêncio eu veja que há tempo para fazer preces pelos que já se foram.
Que eu consiga perceber cada recado Teu através das Tuas criações.
Que eu compreenda que a Tua voz é a única que me sopra a verdade nas 24 horas do meu dia.
Que eu ouça em cada minúsculo ser a grandeza da Tua obra.
Que eu perceba nessa Grandeza o quanto és desprovido do orgulho.
Pai, que hoje eu possa saber fazer silêncio!
Que eu saiba calar na hora exata e nessa hora lembrar-me de observar a Tua arte...e que em meio a qualquer som Tu sempre soarás mais alto e jamais hás de calar-Te.
Recebi e postei...


                                 NOTICIAS NO MOMENTO.

Revista Noticia do Momento. Escritores ao caminho da Literatura.
Convidou uma grande escritora de Literatura, a escrever para minha revista
Quero através desta, revista agradecer a escritora  Nedda González Núñez .
Por sua amável gentileza, de contribuir com seus lindos poemas literário para
A Revista Noticia do Momento.
No qual eu estou apresentando os escritores do Brasil e Exterior ao publico que não os conhecem e não sabem o valor das escritas literárias .
S e não tomarmos iniciativas de lutar e demostrar os valores de nossas escritas os nossos sonhos ficam guardados na gaveta para sempre.
Eu falo como escritora completa que sou, e como editora.
Quando me refiro que sou uma escritora completa! Quero dizer que eu escrevo em variedades. E me adapto a todas as escritas.
“Romance História de amor História baseado em fato real Historia Infantil”
“Conto infantil, História ,em quadrinho, Crônica Drama, e ficção, poema ,poesia ,reflexão”
Assim como eu, tem milhões de escritores com as mesmas características , esperando uma chance de mostrar seu trabalho ao mundo.
O que mais fascina os leitores nos blogs da edição e o “romantismo”
O leitor adora um livro de romance ou um poema de amor, uma poesia.
Temos que passar aos nossos leitores, que também escrevemos lindos livros que não é somente
O romance o poema a poesia de amor.
Uns dizem que a Literatura está morrendo, mas acredito  eu que, quem está morrendo são os leitores, por falta de incentivo a leitura.
Congratula-se por haver ainda algumas pessoas que, “gostam tanto de livros” que fazem isto como
Arte. E concordam que “temos um problema grave” se só houver livrarias que vendem aquilo que os novos públicos querem – públicos que não têm um capital cultural acumulado, que não são fortes leitores, que não são leitores fiéis, que agora compram um livro mas que a seguir podem
comprar ,outra coisa qualquer.
Pensam  que os editores, acabam, mesmo se involuntariamente, por determinar o que é a
qualidade literária, “por que .” São eles que decidem por exemplo traduzir certos autores, que
para eles são os melhores do mundo em detrimento de todos os outros que não mandam
Traduzir.” Outra questão que preocupa os consultores editoriais prende-se com a
representatividade da literatura nos outros países, “mas nós não vamos conseguir colocar os
Autores no Brasil e exterior se não tivermos a força de uma editora por detrás de um autor, capaz
de enfrentar um mercado que é muito competitivo”. Mercado que no caso das livrarias está ainda
assim em mutação, pensando os blog das edições  que o espaço nele para os livros com menor
Capital comercial vai  algum dia expandir-se.
Por este motivo eu como escritora e Editora, estou buscando um meio de poder não deixar nossos
sonhos guardados na gaveta.
Buscando um meio de nós ajudarmos uns aos outros para que, nossos livros literários e todos os
outros livros, não morram, como o passar do tempo.

                                 

NOTICIA DO MOMENTO.
Noticias de la revista Momento. Escritores en el camino de la literatura.
Se invitó a un gran escritor de la literatura, escribiendo para mi revista
Quiero que a través de esto, gracias a un escritor de la revista Nedda González Núñez.
Por su misericordia, para contribuir con sus hermosos poemas a la literatura
La Revista Noticias del Momento.
¿En qué me estoy presentando a los escritores en Brasil y en el exterior que el público no los conoce y no se conoce el valor de los escritos literarios.
S y no tomamos iniciativas para luchar y demostrar los valores de nuestros sueños nuestros escritos se guardan en el cajón para siempre.
Hablo como un escritor que estoy lleno, y como editor.
Cuando digo que soy un escritor lleno! Quiero decir que escribo en variedades. Y me adapto a todo escrito.
"Romance Historia de Amor historia basada en hechos reales Niño Historia"
"Les digo a los niños, historia, libros de historietas, Drama Crónica y ficción, un poema, poesía, reflexión '
Igual que yo, tiene millones de escritores con las mismas características, esperando la oportunidad de mostrar su trabajo al mundo.
Lo que más fascina a los lectores de los blogs editoriales y "romanticismo"
El lector ama a una novela romántica o un poema de amor, un poema.
Tenemos que pasar a nuestros lectores, que también escribió libros hermosos que no sólo es
El poema poesía novela de amor.
Algunos dicen que la literatura se está muriendo, pero creo que cualquier persona que se está muriendo lectores son, por falta de incentivo para leer.
Acoge con satisfacción el hecho de que todavía hay algunas personas que "son tan aficionados a los libros" que sea lo más
Art. Y de acuerdo en que "tenemos un problema grave" si sólo librerías que venden lo que el público quiere nuevo - no tienen un capital cultural acumulado público, que no son buenos lectores, que no son lectores fieles que ahora compran un libro, pero entonces pueden
comprar otra cosa.
Ellos piensan los editores, final, aunque sin intención, mediante la determinación de cuál es el
calidad literaria, "por qué". Deciden por ejemplo, traducir ciertos autores, que
ya que son los mejores del mundo a costa de todos los demás que no envían
traducir. "Otro tema que preocupa a los consultores editoriales se refiere a la
representante de la literatura de otros países, "pero no vamos a ser capaces de poner el
Autores en Brasil y en el exterior si no tienen la fuerza de una editorial detrás de un autor capaz
frente a un mercado que es muy competitivo ". Los mercados que en el caso de las bibliotecas es todavía
cambiando así, pensando en el blog de los temas que el espacio en él para los libros con menos
algún día la capital comercial se ampliará.
Por esta razón yo, como escritor y editor, estoy buscando una manera de no dejar que nuestro poder
sueños almacenado en el cajón.
Buscando una manera de ayudarnos unos a otros a fin de que nuestros libros literarios y todas las
otros libros no mueren con el tiempo.




Este poema e original da autora Nedda González Núñez.

                                              
                                                        Los extraños.

          En la tenebrosa región de los que no están vivos ni tampoco muertos las criaturas vagan, sedientas por conocer su origen. Están furiosas y tristes a la vez, avergonzadas por no encajar en ningún lado.
          Temidos y odiados por sus vecinos, pues nada acrecienta más el odio que el miedo, descansan de día bajo un manto de tierra fría, para erguirse aturdidos con las primeras sombras.
          A veces sus sentidos pueden confundir un día muy nublado con el atardecer y entonces terminan apaleados y heridos por los hombres vivos.         
          Pero cada anochecer deben retomar su extraña existencia, y balanceándose y babeando, caminan en busca de raíces y pequeñas alimañas que sigan manteniendo su no-vida, su no-muerte.
          Yo los he visto a veces desde mi ventana, confundidos con el ramaje que puebla el campo. Se agitan oscuramente bajo la lluvia o las estrellas, mientras sollozan por lo bajo. Ya no les temo. Se que algunos llegan hasta el cobertizo para buscar frutas, queso o miel.
         Antes del amanecer desaparecen bajo las ramas de los nísperos y paraísos, mientras el viento arrastra lejos sus gemidos.
Autora: Nedda González Núñez.


Dedico estas simples frases a uma grande escritora.
Uma amiga maravilhosa.

"Amigos especiais"
No caminho da vida encontramos muitas pessoas.
Uns torna-se especiais...
Um torna-se amigo mais chegado...
Outros fazem parte do nosso dia a dia...
Mas tem aquele amigo que nos identificamos no primeiro...
Momento...
Numa conversa simples...
Num sorriso...
Num olhar.
Numa voz, mesmo a distancia...
Quando uma amizade é verdadeira nunca se abala...
Nunca morrer...
Continua viva em nossos corações eternamente.
Amizade verdadeira é aquela que, não fere nossa alma.
Que não machuca com palavras ditas.
Mesmo sabendo que, somos errados  com nossas  atitudes.
Um amigo verdadeiro faz parte da nossa existência...
Da nossa vida...
Do nosso, sentimentos.
Um amigo verdadeiro compartilha a felicidade mesmo a distancia.
Um amigo verdadeiro vibra como nossas alegrias...
Com nossas conquistas...
Um verdadeiro amigo é aquele que podemos falar o que sentimos...
 Sem medo de perder uma grande amizade.
Um verdadeiro amigo nunca deixa de dizer a verdade.
Tenho muitos amigos, entre eles encontrei uma amiga a distancia.
Uma amiga que num gesto s simples me fez compreender que...
Entre milhões de amigos temos um que nós faz compreender milhões de coisas, em uma só palavra.
 Amizade.
Encontrei uma amiga especial...
Você minha amiga...
Nedda González Núñez
É grande escritora e muito admirada por mim.
Entre todas as escritoras, eu encontrei uma que, realmente escreve o gosta.
Eu escrevo o gosto, não importa se somos de escritas deferentes.
O mais importante é escrevemos o que sentimos o que pensamos.
Eu escrevo o lado branco...
Você escreve o lado escuro...
O mais interessante é que gosto do seu lado  escuro da criação.
Um mundo do qual não tinha mergulhado...
Viajei nas suas escritas e me senti, viajando mundo desconhecido.
Um mundo onde só você conhece...
O seu mundo...
O seu “Eu”.
Parabéns minha amiga, amei estar lendo seu texto.
Um grande abraço e receba minha simples frases através desta revista eletrônica.
Para a mais ilustre- Autora Nedda González Núñez 



                                                           Anjo da noite.
Um passageiro nascido na sombra...
Mais do que a escuridão da noite...
Respirando esforços...
Insônia ou pesadelo teimoso.
Deslizando sobre as pálpebras fechadas...
Prender esquecidos jogos antigos...
Espreita.
Da inocência fingida do corredor...
Mas você se tornou sombra.
Minha sombra...
Eu sinto que você ande ao meu lado...
Envolva-me em suas asas de silêncio...
E você não me deixe...
Anjo sem nome.

Autora: Nedda González Núnez.




Ángel nocturno
Pasajero nacido de la sombra.
Más que la oscuridad…
Sobre la noche.
Que respira desvelos…
Insomnio, o terca pesadilla.
Resbalando sobre los párpados cerrados…
Trampa de viejos juegos olvidados…
Que acechan.
Desde  la fingida inocencia del pasillo…
Pero te has convertido en sombra…
De mi sombra…
Presiento que caminas a mi lado…
Envuélveme en tus alas de silencio…
y de mí no te vayas.
Angel innominado.

 Autora: Nedda Gozález Núnez