Páginas

Seguidores

sábado, 20 de abril de 2013

Reflexão de Walter Leite Castro

Para pensar !
 O que Sou ! de Walter Leite Castro.
Esta pergunta emana de dentro de mim,será a voz do eu?,será a voz do nada? será a reprodução das inumeráveis leituras?será a manifestação da consciência da inconsciência? , acredito que a resposta a estes questionamentos existenciais seja , não sei, porque sou uma ampla mistura, um amontoado de pensamentos, memórias, sentimentos, alguns pensamentos são meus, outros apenas chegaram, são hóspedes da alma.Em meu interior não existe uma separação , organização ,cada coisa em seu canto, tudo é uma mistura só,portanto a tarefa de desvendar quem sou, é um processo de internalização da consciência em busca de luz, como afirmou o poeta Goethe:" Luz,mais luz".Destarte,fica evidenciado dois aspectos: primeiro minha interioridade, com seu mundo de pensamentos, sentimentos, desejos, medos ; segundo minha exterioridade, ou seja, o contexto no qual estou inserido no processo de relação com o fora, os "outros", sejam seres animados ou inanimados.Na busca para desvendar o que sou, a priori , se faz necessário a exploração destes dois contextos.Primeiro abordarei o mundo interior, ao mergulhar em meu interior vislumbro: pensamentos, memórias, sentimentos , desejos os mais variados, medos, principalmente o medo do findar,ânsia pelo poder, perpetuação do eu. Após observação mais meticulosa de cada item deste, cheguei a conclusão nada animadora : cada elemento examinado, se transformava em nada , volatiza, não encontrei aquela entidade real concreta, insofismável, denominado de : eu, ego, personalidade , como bem definiu a filósofa Marcia Tiburi , em seu excelente livro ,filosofia em comum,página,63 : "desde o começo deste processo estou num vazio ditado pelo cheio das coisas que é o mundo ao meu redor .Não sou as coisas, não sou o que vejo, não sou o está ao meu redor. Há algo de mim que escapa do mundo e da vida até agora disponível, da vida que herdei ou construí".Portanto , sei que algo existe, seja herdado, ou que for só que não se manifestou, o que mais congrega é meu nome, uma tatuagem na alma. . Segundo ao examinar o exterior salta de imediato a utilização de um sistema de projeção do interior ,em forma de certeza, juízo, preconceito , é evidente que tal processo ocorre de forma inconsciente.Assim o exterior existe em si, mas ao interioriza-lo ,acabo nadificando-o , como afirmou Sartre, porque perceber uma árvore , não é colocar a árvore inteira para o interior , ela continua lá, o que ocorreu foi um processo de construção, formação , da ideia da árvore , que mesmo não existindo em mim,é verdadeira. este processo ocorre com todo relacionamento de mim com o mundo exterior . Na verdade sem rodeios sou uma multidão mas ao mesmo tempo nada , porque cada aspecto examinado, se transforma em mero processo de consciência. Portanto, deixando de lado as verdades dos outros, de segunda mão, como crenças, optei por viver celebrando a vida , a cada momento , cada instante, sem querer agarrar nada, apenas saboreando , com profundo respeito pela existência,buscando sempre o primor ético em todos os aspectos da minha vida. Poderia ter simplificado afirmando sou: um filho de Deus, uma alma, atman, mas como não consigo vê em mim esta verdade, prefiro afirmar , não sei quem sou, mas sou um grande enigma do universo. Postado por Walter Leite Castro às 14:30